Autocorrupção

Autocorrupção é uma coisa muita séria e que ainda está sendo pouco discutido em nossa sociedade. Veja bem…Não estou falando de corrupção, essa que ouvimos falar todos os dias na mídia. Estou falando de AUTOcorrupção!!! Aquela que você vê (ou até mesmo pratica) todos os dias:
✓ Furar filas
✓ Estacionar em locais proibidos ou desrespeitar lugares reservados
✓ Roubar TV a cabo ou fazer “gatonet”
✓ Bater ponto no trabalho para o colega
✓ Colar na prova
✓ Falsificar carteirinha de estudante
✓ Subornar policial
✓ Desrespeitar leis de trânsito
✓ Não fornecer nota fiscal
✓ Sonegar impostos…

A autocorrupção é a corrupção de si mesmo na qual a pessoa opta conscientemente pelo pior, ou seja, pela ação ou atitude menos ética, menos prioritária e menos evolutiva. É um autoengano, autoengodo, uma conduta de fraqueza moral, com autocomplacência, autodegeneração; autodeturpação; autoperversão.
Além dessas citadas acima, existem as autocorrupções mais sutis que você pratica, e, muitas vezes nem percebe, mas que te empurram constantemente para o buraco:
✓ Amores errados;
✓ Desorganização;
✓ Impontualidade;
✓ Egoísmo;
✓ Pensamentos negativos;
✓ Auto-imagem distorcida;
✓ Complexo de inferioridade;
✓ Complexo de superioridade;
✓ Falta de auto-enfrentamento;
✓ Falta de lucidez;
✓ Desleixo com seu próprio corpo;
✓ Procrastinação;
✓ Indisciplina;
✓ Vitimização;
✓ Falta de Vontade.

“Autocorrupção é roubar a si mesmo: riqueza, liberdade, tempo, saúde, espaço, oportunidades e energia”.
(WALDO VIEIRA, Livro: Manual da Proéxis, p.60)

Não é tão simples assim deixar de ser autocorrupto, pois, muitas vezes, a pessoa sabe que está mentindo para si mesma, percebe que determinados comportamentos seus estão lhe empurrando para o buraco, mas mesmo assim não consegue sair desse círculo vicioso.

Pode não ser simples sair dessa condição, mas também não é impossível!
Se você deseja superar a autocorrupção precisará fazer os ajustes mentais necessários para que consiga atingir seus objetivos. E, fazer esses ajustes mentais nem sempre é fácil e agradável pois é preciso se encarar de frente, olhar para os próprios problemas e para as suas dificuldades emocionais. E ás vezes, são problemas que te acompanham há muito tempo, e que sempre você acaba procrastinando a resolução do mesmo.

Um motivo bem importante que nos leva à procrastinar a resolução de nossos problemas é que tentamos ao máximo evitar emoções desagradáveis. É uma forma de fuga da mente que está a todo momento buscando prazer e preservação de sobrevivência.

Para conseguir lidar com a Procrastinação e com outras formas de auto-corrupção é necessário transformar hábitos improdutivos em hábitos produtivos.

Mas, para mudar esses hábitos, será essencial ter um planejamento, disciplina, força de vontade e um tempo de adaptação. Para isso estabeleça atitudes específicas:
1) Mude um hábito por vez: Escolher não é simples. A chance de termos sucesso aumenta quando nos dedicamos a uma meta por vez. Do contrário, o risco de falhar diante de tantas incumbências é maior. E a vontade de desistir também.
2) Pense em soluções possíveis: Analise as possibilidades, pratique o que está ao seu alcance. Não crie ciladas. Gaste energia para pensar em como fazer e dar certo.
3) Estabeleça uma meta e uma recompensa: É um reforço positivo. Estabeleça uma periodicidade para a meta. Quando alcança-la, crie uma nova até que aquela atitude vire um hábito. Pense em uma recompensa: uma sessão de massagem ou um presente.
4) Anuncie a mudança: ter uma rede de apoio é fundamental. Conte para a família e os amigos mais próximos que você decidiu mudar. É importante ter alguém para se dividir as conquistas e as angústias.
5) Registre os progressos: Pode ser uma planilha, um papel na porta da geladeira. Anotar os progressos e vê-los diariamente vai motivá-lo.
6) Não desista quando os obstáculos aparecerem: Mudar de hábitos é desafiador. Se uma vez não deu certo, não desanime. Pense numa estratégia diferente para dar certo.

Se você quiser saber dicas e técnicas de como frear sua autocorrupção, acompanhe as publicações das próximas semanas!

Referências:
VIEIRA, Waldo. Manual da Proéxis. Edição 5. Editares. 2011.
O poder do hábito para empreendedores