Pensamentos Negativos X Pensamentos Inteligentes

PENSAMENTOS NEGATIVOS X PENSAMENTOS INTELIGENTES

 

Não aguenta mais ter pensamentos negativos que estão te colocando pra baixo, deixando você mal humorado, depressivo e ainda sem amigos, porque virou aquele cara chato que só vê o lado ruim das coisas? 

 

Em nossa última publicação, comentamos que a mente cria pensamentos como instinto de sobrevivência, e isso é muito bom porque fazendo isso ela nos protege, não nos deixando ingênuos para cair em ciladas.

Nossa mente foi preparada biologicamente para nos proteger, para garantir que possamos viver por muitos anos. E ter pensamentos negativos nos protegem, nos ajudam a sermos cautelosos, prevenidos.

Então, ao invés de você ficar perdendo seu tempo e sua energia tentando acabar definitivamente com seus pensamentos negativos…pare de brigar com sua mente e aprenda a driblar ela. Faz ela começar a trabalhar a seu favor.

Corte os pensamentos limitantes e substituir por pensamentos inteligentes!

Veja algumas técnicas que vão te ajudar a fazer essa transformação mental.

 

TÉCNICA “NÃO SERIA BOM SE…”:

Como já citado anteriormente, nossa mente não sabe discernir o que é real do que não é, por isso ela fará você vivenciar e sentir aquilo que está mostrando a ela no momento. Por isso quando se pergunta: “Não seria bom se esse desejo viesse até mim?”, você acaba estimulando a mente a vivenciar uma outra sensação, uma situação mais positiva, e, com isso, ela também responderá de forma mais positiva. Ela começa a se comunicar com seu corpo de forma mais benéfica: as células de seu corpo passam a fazer uma espécie de alinhamento coletivo, voltando-se a atingir a nova informação que a mente está passando. Assim fica mais fácil alterar sua realidade como um todo – mente – corpo – comportamento.

Exemplos de perguntas: “Não seria bom se eu encontrasse um par maravilhoso com que eu pudesse construir uma vida feliz?”, “Não seria bom se nessa festa eu dançasse o tempo todo?”, etc.

 

TÉCNICA “QUALIDADE DOS PENSAMENTOS”:

Hicks (2007), apresenta a base dessa técnica, porém, ela foi adaptada para lhe ajudar a identificar que tipos de pensamentos predominam em sua mente:

  1. Escreva como se sente sobre determinada questão que surgiu em algum momento do seu dia. Pode descrever o que aconteceu, mas o mais importante é descrever como se sente.

Ex.: Você acabou de discutir com sua filha porque ela não ajuda nas tarefas domésticas e nem toma conta de suas próprias coisas. Você então começa a escrever:

Ela está intencionalmente tentando dificultar a minha vida. / Ela não se importa comigo. / Ela nem mesmo arruma as próprias coisas.

 

  1. Escreva afirmações para ampliar a descrição do seu sentimento.

Ela nunca me ouve.

Quero que ela seja mais responsável.

Não tenho que ficar catando o que ela larga pela casa.

Devia tê-la educado melhor.

Gostaria que o pai dela me desse mais apoio.

Para mim é importante ter a casa limpa.

Sei que ela tem um monte de coisas ocupando sua cabeça.

Eu me lembro bem do que é ser adolescente.

Eu me lembro de quando ela era um amor de garotinha.

Gostaria que ela ainda fosse aquele amor de garotinha.

Não sei o que fazer a respeito.

Bem, não tenho de resolver isso hoje.

Há muitas coisas nela que eu adoro.

Eu sei que há coisas mais importantes do que uma casa limpa.

Eu deveria me sentir bem por querer ter uma casa limpa.

É certo eu querer ter uma casa limpa.

 

  1. Tendo escrito cada pensamento, avalie agora se você se sente melhor, igual ou pior quando lê cada um deles.

Ela nunca me ouve. (igual)

Quero que ela seja mais responsável. (igual)

Não tenho que ficar catando o que ela larga pela casa. (igual)

Devia tê-la educado melhor. (pior)

Gostaria que o pai dela me desse mais apoio. (pior)

Para mim é importante ter a casa limpa. (um pouco melhor)

Sei que ela tem um monte de coisas ocupando sua cabeça. (melhor)

Eu me lembro bem do que é ser adolescente. (melhor)

Eu me lembro de quando ela era um amor de garotinha. (melhor)

Gostaria que ela ainda fosse aquele amor de garotinha. (pior)

Não sei o que fazer a respeito. (pior)

Bem, não tenho de resolver isso hoje. (melhor)

Há muitas coisas nela que eu adoro. (melhor)

Eu sei que há coisas mais importantes do que uma casa limpa. (melhor)

Eu deveria me sentir bem por querer ter uma casa limpa. (pior)

É certo eu querer ter uma casa limpa. (melhor)

 

  1. Depois procure pensamentos sobre esse assunto que lhe façam se sentir melhor.

Sei que ela tem um monte de coisas ocupando sua cabeça. (melhor)

Eu me lembro bem do que é ser adolescente. (melhor)

Eu me lembro de quando ela era um amor de garotinha. (melhor)

Bem, não tenho de resolver isso hoje. (melhor)

Há muitas coisas nela que eu adoro. (melhor)

Eu sei que há coisas mais importantes do que uma casa limpa. (melhor)

É certo eu querer ter uma casa limpa. (melhor)

Obs.: Não existem pensamentos certos ou errados, apenas existem pensamentos que lhe fazem sentir bem e lhe sentir mal. Quando você identifica cada um desses pensamentos, acaba tendo mais chances de reverter a sua atual condição.

Hicks (2007), complementa que talvez, depois de fazer esse exercício, algumas pessoas podem se perguntar “De que adianta me sentir melhor a respeito dos maus hábitos de minha filha? Meus pensamentos não irão mudar seu comportamento.” Diante desse questionamento, ele explica:

“Queremos lhe dizer que seus pensamentos mudam o comportamento de todos e de qualquer coisa relacionada a você. Porque seus pensamentos são o mesmo que seu ponto de atração e, quanto melhor você se sentir, tudo ficará melhor ao seu redor, pessoas e coisas. No momento em que encontrar um sentimento melhor, as condições e circunstâncias mudarão para sintonizar com seu sentimento”. (pág 178)

Então, pergunte-se sempre:

“Que pensamento fará eu me sentir melhor agora?”.

 

TÉCNICA “20 MIN DE FELICIDADE”:

Essa técnica é ótima para aquelas pessoas que tem dificuldade em ver o lado bom da vida e que possuem o hábito mental de criticar alguém ou achar defeitos em si mesmo, pois auxilia a pessoa mudar esse bloco mental, a transformar esses pensamentos negativos específicos em pensamentos mais positivos e produtivos.

  1. Escolha um caderno que lhe agrade. Na capa desse caderno escreva: Meu livro de Aspectos Positivos.
  2. No alto da primeira página, escreva o nome ou faça uma pequena descrição de algo ou alguém que sempre faz você se sentir bem (nome do seu gato, do melhor amigo, da pessoa que você ama, da cidade favorita, etc.). Concentre-se no nome ou palavra escrita e pergunte-se: Do que gosto em você? Por que o amo tanto? Quais são seus aspectos positivos?
  3. Em seguida, escreva o nome ou faça uma pequena descrição de algo ou alguém que faz com que você não consiga se sentir muito bem ou confortável naquela situação. Concentre-se no nome ou palavra escrita e pergunte-se: Quais são seus aspectos positivos? Escreva pelo menos duas coisas boas da pessoa/situação.
  4. Repita esse procedimento durante 20 minutos.
  5. Faça essa técnica durante 20 dias consecutivos, depois, poderá escrever no caderno toda vez que perceber que pensamentos negativos estão predominando em seu dia a dia.

Qualquer sentimento de insegurança ou ódio nasce da sua desconexão com quem você é. E, ao encontrar aspectos positivos, você não oferece nenhuma resistência a quem você realmente é, e por isso experimenta sentimentos de amor e alegria. Ou seja, você começa a sentir-se muito bem, começa ter mais facilidade e rapidez para transformar pensamentos negativos em positivos. Assim, sua mente acaba focando naquilo que realmente importa, ela gasta energia mantendo-se concentrada em coisas que de fato irão lhe trazer mais produtividade e, consequentemente, realização pessoal.

 

“O pessimista reclama do vento; o otimista espera que ele mude; o sábio ajusta as velas”. – William Arthur Ward

 

REFERÊNCIAS:

HICKS, Jerry e Esther. Peça e será atendido – Aprendendo a manifestar seus desejos. Rio de Janeiro. Editora Sextante, 2007.